O fazer em acontecimento (ou) as possibilidade de um crochê livre é um processo reflexivo e prático, uma vivência artística e terapêutica que acontece do encontro entre mãos tecedoras, agulha de gancho, linha e escrita engajadas na produção de cartografias afetivas.

 

Cartografias que são entendidas aqui enquanto pistas, testemunhos, marcas, vestígios descobertos e inventados  ao longo do processo de pensar e fazer crochê. 

 

Nesse percurso, vamos explorar essa técnica para além de destinações e utilidades prévias. Iremos experimentar o crochê enquanto expressão artistíca, um crochê livre de receita, forma ou projeto final previamente dado. 

 

No crochê livre nos dispomos ao “não saber o que fazer” para podermos dar vazão à invenção de acontecimentos, onde a mão, a partir do engajamento presente com agulha e linha, encontra, no instante mesmo do fazer, seu modo de dizer e desdizer.

 

Nos limites da repetição do gesto de crochetar que consiste em laçar a linha, formar correntinha, ponto baixo e ponto alto, buscamos a diferença, o não esperado.

 

Na disponibilidade de um desfazer e refazer como vital para dar forma ao inesperado, o objetivo desde curso-vivência é tatear a potência do tecer enquanto gesto concreto-simbólico de (re)formar. 

 

 

PROGRAMA:

 

  • O crochê em história e estória. 

Vamos explorar o crochê ao longo da história, sua origem sem data e a diversidade geográfica de sua manifestação. Focaremos no momomento em que o crochê se introduz na história da arte trazendo novo movimento a esta técnica.
Em paralelo, as participantes serão convidadas a entrar em contato com as narrativas que compõe sua estória particular com esse fazer.

 

  • No limiar: sem forma mas nos limites das laçadas.

Exploraremos as possibilidades éticas e estéticas de um crochê em forma livre enquanto uma técnica-não-técnica, experimentada sem a intenção de conformar a forma final a uma utilidade prévia. Junto da pensadora Virginia Kastrup iremos refletir também sobre uma política da invenção. 

 

  • A escrita dentro do acontecimento.

Em contato com o pensamento da professora Nina Veiga iremos de encontro a uma escrita que dá voz as intensidades do acontecimento. Uma escrita que não apequena os fluxos do vivido, mas que expande e reflete aquilo que se faz em nós enquanto fazemos o que fazemos. 

 

  • Criando memória e abrindo espaço aos devires.

Aquilo que vai sendo forjado no crochetar e no escrever precisa de um espaço onde possa ser semeado, espaço de registro e acolhimento dos desdobramentos, que favoreça nosso amadurecimento compreensivo ao longo do tempo. Aqui inventaremos esses espaços. 

 

 

BÔNUS - CURSO BÁSICO DE CROCHÊ PARA INICIANTES

Se você ainda não sabe crochetar,  não há problema.

O curso de crochê básico foi pensando para você, que é iniciante ou mesmo que nunca pegou em uma agulha de crochê, possa ter um contato leve e prazeroso com essa técnica milenar.

 

Através de vídeos aulas com passo a passo simples, você irá aprender os pontos básicos do crochê e como combiná-los para criar todo tipo de forma.

 


INFORMAÇÕES: 

Todo o percurso será gravado e disponibilizadas no dia 19 de abril. O curso ficará disponível por 6 meses. Teremos um encontro online ao vivo (a ser agendado) onde as participantes poderão esclarecer dúvidas e compartilhar seus processos e cartografias escritas e tecidas.

 

 

QUEM IRÁ CONDUZIR:

Nathália Abdalla é designer, pós-graduada em Artes-Manuais para Terapias. Através do fazer-pensar manual pesquisa os interstícios entre os fazeres manuais e suas expressões terapêuticas e micro políticas. É co-fundadora do Instituto Urdume onde coordena a área de comunicação visual e edição de arte.

O fazer em acontecimento (ou) as possibilidade de um crochê livre

R$ 260,00Preço
    • Branca Ícone Instagram
    • Branco Twitter Ícone
    • Branca ícone do YouTube
    • Branco Facebook Ícone

    INSTITUTO ​ URDUME I Curitiba - Brasil I CNPJ: 40.138.931/0001-75 | Contato: gustavo@urdume.com.br 

      todos os direitos reservados